Odebrecht: Assessor de Temer recebeu R$ 10 mi em dinheiro vivo

Ex-diretor da Odebrecht delata entrega de dinheiro vivo em escritório de amigo do presidente Michel Temer. A informação foi divulgada no final da tarde desta sexta-feira (9), no site do Jornal O Globo. Segundo a publicação, o presidente Michel Temer teria negociado o repasse de R$ 10 milhões com o Marcelo Odebrecht, no palácio do Jaburu durante a campanha eleitoral de 2014.

A delação foi dada pelo ex vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, teria entregue a quantia em dinheiro vivo, no escritório de José Yunes, conselheiro da campanha no ano de 2014, ex-tesoureiro do PMDB em São Paulo, e atualmente, assessor especial da Presidência. De acordo com a delação o valor foi negociado em maio de 2014, dois meses após o início da operação lava jato. 

De acordo com O Globo, não é a primeira vez que o nome de Yunes é citado em supostas movimentações financeiras ligada a temer. A exemplo disso está uma das questões feitas pelo ex-presidente da Câmara, o ex-deputado Eduardo Cunha levanta suspeita de envolvimento em caixa dois, ao questionar se Temer recebeu alguma quantia declarada ou não declarada para a campanha.

O secretário de imprensa da presidência da República, Márcio Freitas negou que emissários da Odebrecht ou de qualquer outra empresa tenha entregue dinheiro vivo no escritório de Yunes. De acordo com assessor, o presidente realmente solicitou uma contribuição financeira Marcelo Odebrecht e este o concordou, no entanto todo o valor teria sido declarado.

Nenhum comentário

https://syndication.exdynsrv.com/splash.php?idzone=2574917